top of page

BOLETIM 1182 - ACONSELHAMENTO INFANTIL

Nº 1182 – ANO XXIII – 20 a 26 de maio 2023


É importante e fundamental que todo ser humano tenha uma vida fundamentada no relacionamento profundo e diário com Deus e Seu poder sobrenatural, por isso, o sábio rei Salomão já deixou registrado: “Instrui a criança no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele”. Provérbios 22:6

As coisas estão mudando numa velocidade absurda, e com isso, muitos não conseguem acompanhar, e a cada dia que passa, o distanciamento geracional entre pais e filhos aumentam, pois a criança de hoje é exposta a muita informação, tecnologia, inovações em uma fase muito precoce, e ninguém tem condições ou capacidade ainda de prever quais danos ou mudanças isso vai causar na fase adulta.

Por outro lado, desde a criação do homem no Éden, vemos comportamentos e temperamentos diferentes em filhos dos mesmos pais. Cada ser humano é único, “indivíduo”, olha o perfil de Abel, e o do seu irmão Caim!

Toda criança nasce sem o censo latente definido, e com isso, necessita de limites, parâmetros e referenciais.

Os pais são os “mestres de obra”, que estarão edificando a vida, construindo o ser e moldando o caráter.

É bem verdade que existem seres que tem um temperamento tranquilo, carismático, gerando um comportamento passivo e sempre sorridente, mas também, tem outros, que já nascem com um temperamento genioso, agitado, teimoso, gerando um comportamento violento, corajoso e intrépido.

Muitos definem esse comportamento de rebelde e insubmisso, e falta de uma adequação correta dos pais, porém, nem sempre os pais são os culpados por um temperamento mais enérgico.

O problema é que muitas vezes, os pais por não entenderem esse temperamento de um de seus filhos, complicam o relacionamento, gritando, batendo e com isso entram num ringue dentro do lar, disputando força, poder e autoridade.

Toda criança tem “necessidades básicas” como por exemplo, afeto, pertencimento, segurança, e acima de tudo, limites estabelecidos, pelo qual vai definir este senso latente de parâmetros – certo, errado, pode, não pode, sim ou não!

Muitas crianças tem muita energia para gastar, e cada vez mais presas num apartamento cada vez menor, e com um ativismo cada vez maior, pois muitos pais pensam que a ocupando com cursos dos mais diversos, terapias, esportes etc, vai amenizar essa agitação da criança e muitas vezes complica ainda mais.

A criança também tem suas “crises, conflitos” e seus próprios limites. Criança se cansa, e hoje em dia podemos até dizer, se estressa, se preocupa e também, sofre, com situações ou conversas que ainda não dominam o assunto e criam verdadeiros gigantes em seus pensamentos para tentar solucionar ou entender, coisas que não compete à sua faixa etária.

De uma maneira instrutiva e dinâmica, esses são alguns dos temas que serão abordados na nossa próxima matéria: “ACONSELHAMENTO INFANTIL”, no curso de Psicoteologia. (as matérias são independentes, então mesmo que você não seja aluno, mas se interessa por esse tema, convidamos você a fazer esse módulo que será ministrado dos dias 29 de maio a 02 de junho, nas turmas da manhã 9h às 12h ou da noite, 19h30m às 22h.

Muitos lares estão ao ponto de se dissiparem por falta de um pequeno ajuste, ou alinhamento, no qual, o aconselhamento pode ajudar e muito. É sempre importante ouvirmos uma análise de quem está fora do problema, pois, pode nos levar a enxergar por um prisma que ainda não tínhamos observado.

Uma família disfuncional, pode marcar a vida dos filhos para sempre. Uma criança ferida – fere; uma criança machucada – machuca. E com isso vemos inúmeros adultos desequilibrados, com problemas psicossomáticos dos mais variados, isso quando não, muitos irados, rancorosos, com gravíssimos problemas por falta de perdão ou agressões que tiveram na infância. Por isso, vale a pena buscar instrução para contribuir com a melhora do LAR.


Claayton Nantes

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page