top of page

BOLETIM 1131 - SALMOLOGIA

Nº 1131 – ANO XXII – 28/05 a 03/06 de 2022


O livro de Salmos é considerado o livro mais lido de toda Bíblia, principalmente do Antigo Testamento também, o qual está qualificado na subdivisão dos livros poéticos do Antigo Testamento.

A palavra ‘salmos’ tem origem no vocábulo grego psalmos, que denota o som de um instrumento de cordas. O aspecto musical e cúltico do livro reflete a cultura oriental, que valorizava os hinos e poemas como forma de representação não apenas do sagrado, mas de cada aspecto da vida cotidiana. Contudo, tais hinos não estão relacionados apenas a momentos de alegria, mas também de tristeza, lutas, desafios, problemas pessoais, crises e aflições.

Os salmos podem ser classificados em reais (que falam sobre o reinado de Deus), penitenciais (o autor confessa seu pecado e pede perdão), de Sião (falam de Jerusalém e sua importância), messiânicos (prenunciam a vinda de Jesus Cristo) e imprecatórios (invocam o juízo de Deus sobre os inimigos).

O Livro de Salmos é o grande hinário da Bíblia. Isto porque todos os seus versículos são cânticos e poemas sagrados, entoados pelo povo de Deus em momentos diversos. Seu título original em hebraico é Tehillim (cânticos de louvor). As 150 canções que compõe o Livro dos Salmos constituem-se no livro de oração do antigo Israel, as quais eram entoadas no templo de Jerusalém por ocasião das festas religiosas e de outros momentos de celebração. Alguns cânticos eram expressões de devoção pessoal, outros, contudo, foram compostos como forma de adoração pública.

Assim como o Pentateuco, os Salmos dividem-se em cinco partes, sendo com a essência a mesma visão temática: Gênesis – o ser humano e a criação (Salmos 1-41). Êxodo – Livramento e Redenção (Salmos 42-72). Levítico – Culto, serviço e sacrifício (Salmo 73-89). Números – Deserto e Peregrinação (Salmos 90-106). Deuteronômio – Palavra de Deus e Adoração (Salmos 107-150).

As breves descrições que introduzem os salmos listam Davi como autor em 73 casos. A personalidade e identidade de Davi estão claramente estampadas em muitos desses salmos. Embora seja claro que Davi escreveu muitos dos salmos individuais, ele definitivamente não é o autor de toda a coleção. Dois dos salmos (72 e 127) são atribuídos a Salomão, o filho e sucessor de Davi. Salmo 90 é uma oração atribuída a Moisés. Outro grupo de 12 salmos (50 e 73-83) são atribuídos à família de Asafe. Os filhos de Coré escreveram 11 salmos (42, 44-49, 84-85, 87-88). Salmo 88 é atribuído a Hemã, enquanto que Salmo 89 é atribuído a Etã, o ezraíta. Com a exceção de Salomão e Moisés, todos esses autores adicionais foram sacerdotes ou levitas responsáveis pelo fornecimento de música para a adoração no santuário durante o reinado de Davi. Cinquenta dos salmos não mencionam qualquer pessoa específica como seu autor, podendo alguns até serem o próprio Davi ou outro autor já mencionado.

Há uma identificação muito grande com momentos de lutas e angústias que passamos com certos salmos, pois era também a realidade e os sentimentos que o autor estava passando. Em geral, os salmos apresentam um misto de sentimentos de louvor, adoração, angústia, sofrimento e arrependimento. John Calvino chamava-os de anatomia de todas as partes da alma, pois neles encontramos todas as expressões da emoção humana de maneira honesta, profunda e real.

Os salmos são a grande coletânea de composições poéticas que, na sua maioria, ressalta, entre outros assuntos, a vida de santidade, louvor e adoração, não deixando também de citar profecias acerca do Messias prometido.

Com sua ênfase na sabedoria da lei divina e no governo soberano do Altíssimo, por intermédio do reino dravídico, o Salmo primeiro serve como introdução ao Saltério. Suas palavras começam com uma bem-aventurança: Bem aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Este é um conselho oportuno para o cristão que se aventura a pautar sua vida de acordo com os paradigmas mundanos. É fascinante mergulharmos neste mar de informações e encontrarmos riquezas nesse oceano inesgotável. Esta será a matéria que estaremos estudando nesta semana no Instituto Jáfia.


Claayton Nantes

55 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page