top of page

BOLETIM 1183 - DOMINGO DE PENTECOSTES

Nº 1183 – ANO XXIII – 27/05 a 02/06 2023


As Festas Judaicas, ou ‘Santas Convocações’, ou Celebrações do Antigo Testamento, são datas proféticas, messiânicas e algumas até escatológicas. O interessante é que muitas delas, no mesmo período da festa, aconteceu algo de extraordinário na vida de nosso Senhor Jesus Cristo.

Muitos teólogos e estudiosos acreditam que Jesus nasceu numa Festa de Tabernáculos (Sucott), pois Ele tabernaculou entre nós!

Ele morreu numa Festa de Páscoa (pessach) e ressuscitou numa Festa de Primícias (Habikurim), e assim o Espírito Santo é derramado numa Festa de Pentecostes (Shavuot); temos ainda Yom Kippur (Dia do Perdão), o Rosh Hashanáh (o ano novo – a cabeça do ano); e a Festa de Purim (o livramento do povo de Deus); a Festa de Hanukáh (mais um livramento para o povo de Deus, porém, = 49também chamada de Festa das Luzes ou ainda Festa da dedicação).

Como muito bem nos diz o apóstolo Paulo ao escrever para os irmãos de Colossos, que o Antigo Testamento é sombra das coisas que haveriam de vir.

A Festa de Pentecostes foi estabelecida logo após terem saído do Egito na liderança de Moisés, e os 50 dias após da Páscoa (Pessach) ou passagem do anjo da morte, e o livramento em toda casa em que havia sangue nos umbrais e na verga da porta, porque naquela casa havia sido morto, sacrificado um Cordeiro (substituto) – apontava literalmente para “O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO”.

Agora, a Festa de Pentecostes também chamada de Festa das Semanas (estabelecida em Levítico 23:16), ou ainda até, FESTA DA COLHEITA, pois são os primeiros frutos após ter saído da escravidão do Egito de cevada, uva e trigo. O povo hebreu era um povo basicamente ‘agrícola’, então tinham sempre muita alegria em relação à colheita de cereais, que apontava para provisão, suprimento e prosperidade.

Que mais uma vez, era “sombra”, ou profético para o que realmente iria acontecer na Nova Aliança – a descida do Espírito Santo de Deus, e os primeiros frutos – 3000 almas se converteram na primeira pregação de Pedro, onde a “Igreja é chamada para fora”, para sair do cenáculo, onde os discípulos, que agora estão sendo comissionados como apóstolos do Cordeiro, são revestidos, capacitados para saírem e pregarem o Evangelho a toda criatura. Festa essa que ocorre um dia após as sete semanas completas da Páscoa – 7X7 = 49, +1 = 50 DIAS.

Tradicionalmente esperava-se que as pessoas trouxessem a primeira colheita de grãos ao Senhor, incluindo dois pães fermentados.

O plano de Deus para salvar almas incluía mais do que os judeus. Por meio de Jesus, esse plano foi revelado. Em Mateus 9:37, Jesus diz a Seus discípulos que “a colheita é grande, mas os ceifeiros são poucos, rogai ao Senhor da seara que envie ceifeiros para Sua seara! Em Atos 1:4, Ele diz para que eles ficassem e esperassem em Jerusalém até que do alto fossem revestidos de Poder do Espírito Santo de Deus. Os dois pães fermentados que eram trazidos como oferta na ocasião do Pentecostes, representavam, eram símbolo de judeus e povos gentios – A IGREJA.

Oficialmente podemos dizer que foi a “inauguração da Igreja”, a Igreja do Senhor Jesus Cristo “nasceu” na Festa de Pentecostes, pois a “primeira colheita”, foram 3.000 almas. A mensagem se espalhou para os judeus e gentios, estendendo até os confins da terra. Após o exílio, os judeus passaram a observar essa festa no Templo, em Jerusalém, tornando-se a segunda das três festas anuais em que o povo afluía para a cidade. Esse dia teve um significado todo especial para a história do cristianismo, pois marcou o início de uma nova fase para o Evangelho. Atos 2:1-4 – “Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos...”

Em cada festa, “os céus estão abertos”, creia e receba o milagre que Deus tem para você de revestimento, provisão e poder!


Claayton Nantes

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page