top of page

BOLETIM 1115 - OROGRAFIA DE ISRAEL

Nº 1115 – ANO XXII – 05 a 11 de fevereiro de 2022


“Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra de suas mãos”. Salmo 19:1

Toda natureza declara a glória de Deus, e como afirma uma das autoridades sobre “Designer Inteligente”, a impressão que temos é que Deus deixou Sua assinatura em tudo o que fez!

O escritor de Hebreus já dizia: “Havendo Deus, antigamente, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimas dias, pelo Filho”. Hebreus 1:1

Deus fala por sonhos, visões, por voz audível, por uma impressão no espírito; Deus fala pelos astros, pela natureza, por profecia, pela Sua Palavra, e agora chegou o momento de estudarmos como Ele fala pela ‘disposição topográfica dos montes’.

Topografia é a ciência que estuda todos os acidentes geográficos definindo a sua situação e localização na Terra ou outros corpos astronómicos incluindo planetas, luas e asteroides. Vamos nos limitar a estudar somente os montes da Terra Santa.

Depois de visitar Israel muitas vezes, tive a oportunidade e o privilégio de estudar Arqueologia Bíblica e Geografia Bíblica, visitando inúmeros sítios Arqueológicos e históricos em Israel.

Sem contar os inúmeros Museus que tivemos a oportunidade de termos aulas e vermos a riqueza da história que aquela terra nos traz.

Numa interpretação arqueológica, é impressionante analisarmos o discurso de João Batista ao pregar no deserto da Judéia: “E, naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia e dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos céus.

Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que disse: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas... Então, ia ter com ele Jerusalém, e toda a Judéia, e toda a província adjacente ao Jordão; e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados... Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento e não presumais de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que mesmo destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão.

Mateus 3:1-12

É impressionante analisarmos esse trecho do versículo 9, no prisma arqueológico: “Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que mesmo destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão”, onde se entende que ao analisarmos os achados arqueológicos, e vermos a datação das pedras em Israel, muitas pessoas podem crer no contexto histórico ao verem as evidências e provas arqueológicas, confessando assim sua fé em Cristo Jesus.

Nós como “Igreja”, cremos pela fé, mas muitos céticos necessitam de provas, e através “destas pedras” que falou João Batista, muitos tem se dobrado e reconhecido a exatidão das histórias registradas na Bíblia!

Assim também como o próprio Jesus falou: “E, indo ele, estendiam no caminho as suas vestes. E, quando já chegava perto da descida do monte das Oliveiras..., dizendo: Bendito o Rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória nas alturas!

E disseram-lhe dentre a multidão alguns dos fariseus: Mestre, repreende os teus discípulos. E, respondendo ele, disse-lhes: Digo-vos que, se estes se calarem, as próprias pedras clamarão”. Lucas 19:36-40

Ao visitarmos Israel, e principalmente ao cursarmos arqueologia bíblica, vemos as pedras clamando, a evidência dos achados arqueológicos comprovando cada detalhe bíblico, não só do Antigo Testamento, a vida e a trajetória de Abraão, Moisés, Josué, os juízes, os reis Saul, Davi e Salomão, como até o Novo Testamento, a vida e o ministério de Jesus, dos discípulos, o apóstolo Paulo e as igrejas primitivas. Que o Senhor possa falar poderosamente ao seu coração através da Geografia Bíblica, neste módulo especificamente “O ESTUDO DOS MONTES DE JERUSALÉM – OROGRAFIA”.

Claayton Nantes

89 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page