top of page

BOLETIM 1042 - Parabéns pelos 20 Anos...

Nº 1042 ANO XX 13 a 19 de setembro de 2020


Parabéns pelos 20 Anos... Meu Deus, hoje nada temos a pedir, mas sim, só agradecer. Imensas foram as lutas por qual todos passamos, ao nosso lado nos fizeste vencer. Navegamos por mar bravio, mas, com Jesus no barco chegamos até aqui! Iluminados pelo brilho da face de Cristo, firme remamos sem desistir. Senhor foste e é a nossa Torre Forte – ‘lugar onde temos sido abençoados’ Tudo que passamos não foi fácil, mas, fez de nós vencedores. És tremendo Senhor, seguros estamos em Tuas mãos. Rocha Forte, onde podemos segurar, se pedirmos ouvirás nossas orações. Enxertados estamos na Videira Verdadeira que é Jesus Cristo. Obras maravilhosas fizeste e continuará fazendo pois és o Dono de tudo isto. Invocamos o Teu Nome ó Pai, sempre nos ouve com atenção e amor Nunca nos deixastes só, seguros estamos em Tuas mãos, de tudo és Senhor Tens cuidado de tudo, nos ensinando a caminhar por veredas ruins Então ouvimos uma voz mansa que nos diz: “Calma filhos, ainda não é o fim” Reme mais um pouco, o mar está bravo, mas, Eu posso acalmar... Nada sai do Meu controle, Eu Sou Teu Deus e tudo voltará ao lugar Amparados sempre estarão no esconderijo do Todo Poderoso Caminhando com fé no Homem de Nazaré sempre sairá vitorioso Isso posso lhe dizer com certeza sem medo de errar. Onde estiveres por onde andares crendo que Eu Sou nada lhe fará parar. Nascestes para vencer, jamais desistir, vêm, siga em frente, Sou Teu Deus. Agasalhados em meus braços, nada tens a temer cuido de ti e dos seus. Livres, guardados, protegidos, longe dos perigos, pois tu és meu. Tudo Posso n’Aquele que me fortalece, diz a Palavra do Senhor. Olhando para o Autor e Consumador da nossa fé, o Salvador. Rompendo em fé, nada impedirá o agir de Deus na nossa vida. Remidos pelo Sangue do Cordeiro em Cristo temos guarida. Ele é o Senhor, Filho do Criador, só Jesus é a Saída. Feliz é o homem cujo Deus é o Senhor Jesus Onde estiver, caminhe com fé, pois seus passos, Deus conduz. Renovos, milagres, salvação, libertação, tudo fez o Senhor e continuará. Tome posse das bençãos que virão, muito ainda tem Deus para nos dar, crê e verás. Estamos felizes pelos vinte anos de bênçãos, obrigado Senhor nosso Deus, Criador que nesta Igreja de tudo cuidará. Parabéns Torre Forte, lugar onde tenho sido abençoado. Inspirado pelo Espírito Santo, e escrito pela diaconisa Gabriela da Silva Rovere Os três conselhos


Um casal de jovens recém-casados, muito pobre, vivia de favores num sítio de interior.

Um dia, o marido fez a seguinte proposta para a esposa: Querida, eu vou sair de casa. Vou viajar para bem longe, arrumar um emprego e trabalhar até ter condições para voltar e dar-lhe uma vida mais digna e confortável. Não sei quanto tempo vou ficar longe, mas só lhe peço uma coisa: que você me espere e, enquanto eu estiver fora, seja fiel a mim, pois eu serei fiel a você. Assim sendo, o jovem saiu. Andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro que estava precisando de alguém para ajudá-lo. O jovem chegou e ofereceu-se para trabalhar, no que foi aceito. Pediu para fazer um pacto com o patrão, o que também foi aceito. O rapaz pediu o seguinte: Deixe-me trabalhar pelo tempo que eu quiser e, quando eu achar que devo ir, o senhor me dispensa das minhas obrigações. Eu não quero receber o meu salário agora. Peço que o senhor o coloque na poupança até o dia em que eu for embora. No dia em que eu sair, o senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho.

Tudo combinado, o jovem trabalhou durante vinte anos, sem férias e sem descanso. Então, ele chegou para o patrão e disse: Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa. O patrão então lhe respondeu: Tudo bem, afinal, fizemos um pacto e vou cumpri-lo, só que antes quero lhe fazer uma proposta: eu lhe dou o seu dinheiro e você vai embora, ou então lhe dou três conselhos e não lhe dou o dinheiro e você vai embora. Se eu lhe der o dinheiro, eu não lhe dou os conselhos, se eu lhe der os conselhos, eu não lhe dou o dinheiro. Vá para o seu quarto, pense e depois me dê a resposta.

Ele pensou durante dois dias, procurou o patrão e disse-lhe: Quero os três conselhos. O patrão novamente frisou: Se eu lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro. E o empregado respondeu: Quero os conselhos. O patrão então lhe falou:

Conselho nº 1 – Nunca tome atalhos em sua vida. Caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida.

Conselho nº 2 – Nunca seja curioso para aquilo que é mau, pois a curiosidade para o mal pode ser mortal.

Conselho nº 3 – Nunca tome decisões em momentos de ódio ou de dor, pois você pode se arrepender e ser tarde demais.

Após dar os conselhos, o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim: Aqui você tem três pães, dois para comer durante a viagem e o terceiro é para comer com sua esposa quando chegar à sua casa. O homem então seguiu seu caminho de volta, depois de vinte anos longe de casa e da esposa que tanto amava. Após o primeiro dia de viagem, encontrou um andarilho que o cumprimentou e lhe perguntou: Para onde vai? Ele respondeu: vou para um lugar muito distante que fica a mais de vinte dias de caminhada por essa estrada. O andarilho disse-lhe então: Rapaz, este caminho é muito longo, eu conheço um atalho legal, você chega em poucos dias. O rapaz, contente, começou a seguir pelo atalho, quando lembrou-se do primeiro conselho. Então, voltou e seguiu o caminho normal. Dias depois, soube que o atalho levava a uma emboscada. Depois de alguns dias de viagem, cansado ao extremo, achou uma pensão à beira da estrada, onde pôde hospedar-se. De madrugada, acordou assustado com um grito estarrecedor. Levantou-se de um salto só e dirigiu-se à porta para ir até o local do grito. Quando estava abrindo a porta, lembrou-se do segundo conselho. Voltou, deitou-se e dormiu. Ao amanhecer, após tomar café, o dono da hospedagem perguntou-lhe se ele não havia ouvido um grito, e ele disse que sim. E o hospedeiro lhe disse: E você não ficou curioso? Ele disse que não. No que o hospedeiro respondeu: Você é o primeiro hóspede a sair daqui com vida, pois meu filho tem crise de loucura, grita durante a noite e, quando o hóspede sai, mata-o e enterra-o no quintal. Depois disso, o rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso por chegar à sua casa. Depois de muitos dias e noites de caminhada, já ao entardecer, viu entre as árvores a fumaça de sua casinha, andou e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa. Estava anoitecendo, mas ele pôde ver que ela não estava só. Andou mais um pouco e viu que ela retinha entre as pernas um homem a quem acariciava os cabelos. Quando viu a cena, seu coração se encheu de ódio e amargura e decidiu-se a correr de encontro aos dois e matá-los. Respirou fundo, apressou os passos, quando lembrou-se do terceiro conselho. Então parou, refletiu e decidiu dormir ali mesmo naquela noite, e no dia seguinte tomar uma decisão. Ao amanhecer, já com a cabeça fria, disse para si mesmo: Não vou matar minha esposa nem o seu amante. Vou voltar para o meu patrão e pedir que ele me aceite de volta. Só que, antes, quero dizer à minha esposa que eu sempre lhe fui fiel. Dirigiu-se à porta da casa e bateu. Quando a esposa abriu a porta, reconheceu-o imediatamente, atirou-se em seu pescoço e abraçou-o afetuosamente. Ele tentou afastá-la, mas não conseguiu. Então, com as lágrimas nos olhos, disse-lhe: Eu fui fiel a você e você me traiu... Ela, espantada, respondeu: Como? Eu nunca lhe traí, esperei durante esses vinte anos. Ele então lhe perguntou: E aquele homem que você estava acariciando ontem, ao entardecer? Ela lhe respondeu: Aquele homem é nosso filho. Quando você foi embora, descobri que estava grávida. Hoje ele está com vinte anos. Então o marido entrou, conheceu, abraçou o filho e contou-lhes toda a sua história, enquanto a esposa preparava o seu café. Sentaram-se para comer juntos o último pão. Ele então parte o pão e, ao abri-lo, encontra todo seu dinheiro, o pagamento por seus vinte anos de trabalho e dedicação ao seu patrão!

Lição: A larga estrada que conduz à destruição é cheia de atalhos que nos levam aos prazeres da vida e aos atrativos do mundo. Porém, todas as vezes, surgem a nossa frente uma emboscada ou uma armadilha de satanás.

O mundo é atraente e aguça a nossa curiosidade. Isso nos leva a querer conhecer o que é mau e iníquo. Aqueles que se deixam levar pela curiosidade acabam por morrer espiritualmente. Eu posso afirmar que muitos hoje que estão nas penitenciárias da vida não estariam lá se conhecem e praticassem esses três conselhos. Muitos destruíram suas famílias, empresas, ministérios por agirem impetuosamente. Quando nossas decisões são baseadas na verdade e na vontade de Deus, somos abençoados.

Hoje, o Senhor Jesus Cristo nos dá o que é necessário. E promete o pão da vida para aqueles que ouvem e acatam todos os conselhos da Sua santa e Bendita Palavra.

Extraído do livro: Ou você perdoa ou adoece – a falta de perdão torna a vida um inferno – Renato Rubim

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page