top of page

O foco do mentor é promover o outro

Atualizado: 2 de dez. de 2020






Paulo nos diz em Efésios 4:1-3 – “Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação em que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz”.

Cada pessoa tem o seu ponto forte, e nós temos que aprender a reconhecer, potencializar, e maximizar a vida do outro.

Os tempos mudaram, e mudaram não só pela pandemia que o mundo vive, mas se aproveitaram da pandemia para agilizar o calendário; houve um aceleramento e mudou tudo acerca de liderança.

A boa liderança atual é a liderança que reconhece o próximo, é a liderança que estabelece sucessores.

Nenhum ministério é completo se não formar sucessores.

Nenhum ministério é completo se não continuar depois que você partir, se não tiver continuidade.

Um líder de sucesso hoje, é um mentor, e o mentor ajuda outras pessoas a descobrirem o seu propósito, identificando e potencializando os seus pontos fortes e não explorando as fraquezas.

Porque o propósito das pessoas na vida está sempre ligado aos dons que elas possuem. Sempre funciona assim. Ninguém é chamado para fazer alguma coisa para a qual não tem talento. Você descobrirá seu propósito quando identificar e permanecer na área em que é mais forte.

Da mesma forma, não dá para se desenvolver e alcançar o melhor de seu potencial se você trabalha o tempo todo fora da área em que é mais forte. Quanto maior for sua habilidade natural, maior será seu potencial para se aprimorar. Há muitas pessoas que pensam que para se alcançar melhor do seu potencial, elas devem desenvolver as áreas em que são mais fracas. Porém se você gasta todo o tempo de que dispõe trabalhando nas deficiências, sem jamais investir e desenvolver os seus pontos fortes essa pessoa vai trabalhar muito porém o máximo que vai conseguir é pavimentar uma estrada rumo à mediocridade e ninguém admira e nem recompensa a mediocridade.

Sempre promovi caravanas e viajei com equipes e mais equipes para missões, e as viagens se tornam “bem sucedidas”, “viagens de sucesso”, quando como líder, ajudo as pessoas a reconhecer e identificar o que elas fazem bem. Se a área dela é capelania hospitalar, logo conseguimos as autorizações para visitar todos os leitos; se é com crianças, logo promovemos uma tarde das crianças; se é tocar, logo envolvemos ela com o ministério de louvor para um workshop, ministração; enfim: “andeis como é digno da vocação em que fostes chamado”.

As pessoas que alcançam o melhor de seu potencial gastam menos tempo se perguntando “O que estou fazendo certo?” e se dedicam mais a outro questionamento: “O que estou fazendo bem?”

A primeira questão é de ordem moral; a segunda é de talento. Você deve sempre se esforçar para fazer a coisa certa, mas isso não ajudará em nada a descobrir o seu talento.

Grande parte das pessoas desperdiçam grande parte da vida tentando demonstrar qualidades que não possuem.

Quando meditamos em nossos pontos fortes, tendemos a ser vagos.

Peter Drucker, o pai da administração moderna escreveu: “o maior mistério não é as pessoas fazerem certas coisas de maneira ruim, e sim o fato de, vez por outra, fazerem outras coisas muito bem.

O único conceito universal é o da incompetência. A força é sempre específica! Ninguém jamais comentou, por exemplo, que o grande violinista Jascha Heifez provavelmente seria incapaz de tocar bem o trompete. Quanto mais específico você for em relação a seus pontos fortes, maior será a chance de descobrir sua especialidade. Por que viver nas fronteiras de sua área de especialidade quando tem a oportunidade de ficar bem no centro dela?

Muitas vezes, menosprezamos os nossos talentos. Acreditamos que, como somos capazes de fazer algo muito bem, todo mundo também é. Geralmente isso não corresponde à verdade.

Como detectar quando estamos negligenciando uma habilidade ou um talento?

Ouça o que os outros dizem. Seus pontos fortes atrairão a atenção dessas pessoas e as farão se aproximar. Por outro lado, quando você está trabalhando em áreas de fraqueza, pouca gente demonstra interesse. Agora, se as pessoas não param de elogiar você numa área específica de sua habilidade, comece a desenvolvê-la e aperfeiçoá-la.


Você não vai querer passar a vida inteira se comparando aos outros; isso não é nada saudável. Mas também não deseja desperdiçar seu tempo fazendo algo que outras pessoas fazem muito melhor.

O ex-diretor executivo da General Electric, Jack Welch, afirma: “Se você não tem uma vantagem sobre a concorrência, não entre na competição”.

As pessoas não pagam pela mediocridade. Se você não tem talento para fazer alguma coisa melhor que a concorrência, concentre-se em algum outro tipo de atividade.

Para ter uma ideia mais precisa a respeito de sua posição em relação à concorrência, pergunte-se:

· Alguém mais faz o que faço?

· Essas pessoas estão se saindo bem?

· Elas estão se saindo melhor do que eu?

· Posso ser melhor do que elas s atividades?

· Se eu conseguir melhorar, qual será o resultado?

· Se eu não conseguir melhorar, qual será o resultado?

A resposta à última pergunta é: “Você perde!”.

Quer saber o motivo?

Porque sua concorrência está trabalhando na área em que ela é mais forte e você não.

Muitos se desmotivam ao observar a concorrência e reconhecerem não ser capaz de superá-los, porém não perca tempo tentando ver como vencer a concorrência, apenas identifique onde você é diferente, e concentre-se naquilo que você faz melhor!

Descubra e desenvolva a diferença. Aprimore-se naquilo que você faz melhor.


Para termos um ministério de sucesso, termos uma equipe de sucesso, para que venhamos ser um líder de sucesso – DESCUBRA E DESENVOLVA AS ÁREAS EM QUE SUA EQUIPE É MAIS FORTE.

Descubra a singularidade das pessoas, em seguida, discipline-se para que possa ajudar a desenvolver.

Ao encontrar pessoas bem sucedidas no que fazem, podemos ter a certeza absoluta de que estão trabalhando na área em que são mais fortes. Mas isso não é o suficiente quando alguém deseja ser bem-sucedido como líder. Os bons líderes ajudam os outros a descobrir em que áreas são mais fortes e os estimulam a buscar o desenvolvimento pessoal. Na verdade, os melhores líderes se caracterizam pela capacidade de reconhecer habilidades e limitações, encaixando as pessoas nas funções em que se sairão melhor.

Infelizmente hoje, dentro das igrejas e ministérios, muitos não estão trabalhando em sua área de especialidade. Por causa disso não estamos alcançando nosso melhor.


Peter Drucker nos lembra de que as organizações existem para maximizar os pontos fortes das pessoas e minimizar suas fraquezas. E é exatamente esse o trabalho dos líderes eficazes. Drucker também nos diz que há líderes natos, mas bem poucos que dependam deles.


Mostre a cada membro como se ajustar à equipe:

Qual o ponto forte de cada um?

Em que situações essas qualidades são especialmente valiosas, complementando os outros membros da equipe?

O que cada membro identifica como fraqueza a ser complementada pelos outros membros, e de que natureza é esse complemento?

Quanto mais a pessoa se sente ajustada à equipe, maior será o desejo de se empenhar e maximizar sua contribuição.

O segredo do sucesso num mundo competitivo e numa concorrência acirrada, é investir na área em que você é mais forte. Reconhecer sua diferença e pontencializá-la. Não queira trabalhar nas áreas de suas deficiências no que diz respeito a habilidade, pois sempre vai ter alguém que vai ganhar essa concorrência – identifique sua diferença e o que tiver que fazer na sua área faça com excelência.

Investir na sua “diferença” sempre vai gerar resultados positivos. Seja o mais específico e mais objetivo possível para identificar o seu ponto forte.

Promover a ascensão de outros é requisito fundamental para a liderança eficaz.

Se você perguntar a um alpinista porque ele vai escalar o mesmo monte novamente, ele vai lhe responder que a satisfação dele é levar mais gente para o topo, pois conduzir pessoas ao topo é mais gratificante do que chegar lá sozinho! E o alpinista ainda vai completar dizendo a você: levar outros ao ponto mais alto, sabendo que nunca poderiam chegar lá sem seu auxílio, é a maior proeza.

A liderança existe para elevar as pessoas. Por isso devemos mentorear e liderar as pessoas.

Peter Drucker afirmou: “A liderança é o ato de erguer a visão para vislumbrar cenários mais elevados; é o desenvolvimento do desempenho de uma pessoa até alcançar um padrão mais alto; é a construção de uma personalidade que supera as limitações naturais”. Em outras palavras: “Para avaliar o desempenho de um líder, olhe para os liderados”. É dessa maneira que sua equipe avalia você.

E como você se avalia?”

Que legado você quer deixar para esta geração?

O que você está fazendo para contribuir com o estabelecimento do Reino?!

Claayton Nantes

126 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page