top of page

BOLETIM 1127 - “PROPAGADOR DO FOGO”

Nº 1127 – ANO XXII – 30/04 a 06/05 de 2022


A Palavra de Deus nos diz que Deus não faz coisa alguma sem antes avisar aos seus profetas (Amós 3:7-8), porém para entender Seus segredos precisamos estar sensíveis e alinhados com Ele.

Para isso precisamos desenvolver um relacionamento de amizade com Deus.

Embora Abraão seja o único na Bíblia chamado como “amigo de Deus”, podemos ver esse relacionamento de “amizade” em outros personagens, tais como Samuel, Davi, Elias, Isaías e outros profetas. Deus ama a amizade, Ele ama compartilhar suas “informações” secretas com pessoas que possuem uma fé genuína e que se relacionam com Ele com intimidade.

Das nove manifestações do Espírito Santo descritas em 1 Coríntios 12, temos a “palavra da sabedoria” e “palavra da ciência” ou seja, palavra do conhecimento. A distinção é que a “palavra de sabedoria” trata o presente revelando o futuro; e já a “palavra da ciência” trata o presente revelando o passado, trazendo ao “conhecimento” algo desconhecido; mas podemos sintetizar dizendo que é o Espírito Santo revelando “segredos de Deus”.

Hoje, mais do que nunca é super importante ouvirmos claramente a voz de Deus, mas isso só é possível através de um relacionamento de oração, comunhão, contemplação, enfim, amizade para com Deus.

O ministério profético é intensificado em períodos importantes na história da humanidade e principalmente na história da Igreja.

Para chegarmos à condição de “amigo” é necessário que seja investido tempo para desenvolver um relacionamento íntimo de confiança com o Espírito Santo de Deus, para conhecer a Sua voz, Seus caminhos, Suas maneiras e Suas emoções.

Os dons proféticos, são ferramentas que o Pai utiliza para captar a atenção das pessoas e para compartilhar Seus segredos com a terra.

O apóstolo Paulo encerra o capítulo 12 de 1 Coríntios nos desafiando a buscarmos, procurarmos os dons: “Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho ainda mais excelente”. 1 Coríntios 12:31.

Se ele nos incentiva a “procurar”, então existe a “parcela humana”, a nossa busca, pedido, procurar com afinco, para que possamos receber essa ferramenta no espírito.

É bem verdade que existe um preparo; precisamos desenvolver um relacionamento com Deus em oração, jejum, intimidade, comunhão, como também precisamos estar dispostos a assumir riscos.

Se tivermos uma boa base teológica, fundamentos alicerçados na Palavra de Deus, conheceremos o coração do Pai, Seu caráter, Seus princípios e erraremos bem menos; pois Deus não fala coisa alguma que seja contra à Sua Palavra.

Então o conhecimento bíblico vai te alinhar à linguagem do Reino e te levar a entender o plano e a vontade de Deus.

Impressionante que quando colocamos a Bíblia em ordem cronológica, observamos que muitos profetas do Antigo Testamento se “alinhavam” com a “última profecia que tinha sido dita” e profetizavam de acordo com o que Deus já tinha falado até aquele momento, então a revelação ia crescendo e “destravando” novos níveis espirituais.

Infelizmente os “dons do Espírito” tem sido mal compreendidos e por isso pouco desejados em nossa geração, porém, há um último derramar profetizado para os “últimos tempos” em Joel, e para isso temos que despertar uma geração, buscar, orar nesse propósito e ativar uma unção profética para nossos dias.

Deus ainda segue falando, nossa geração que está fora da sintonia para ouvir Sua voz.

É tempo de criarmos uma atmosfera profética, despertar os “Elias” e os “João Batistas” desta geração. Se cada um de nós acendermos a chama do avivamento, cada vez que nos encontrarmos esse fogo aumentará e alcançará a família, o emprego, a cidade, a nação e o mundo. Que possamos ser agentes propagadores deste fogo!


Claayton Nantes

49 visualizações0 comentário
bottom of page